domingo, 18 de outubro de 2015

    Reinvento-me
    No encanto do canto da sereia
    Que existe nos sonhos
    Imaginados nas profundezas do mar
    Mar que se eleva nas ondas que transbordam no meu corpo.

    ...
    Reinvento-me
    No quadro inacabado da tela em movimento
    No sabor das cores que transbordam de mim

    Reinvento-me na poesia sem rima
    Livre mas repleta de emoções
    Lágrimas de felicidade que molham as palavras

    Reinvento-me no toque suave
    Nos lábios molhados
    No corpo que geme

    Reinvento-me sempre em ti!
    (Cris Anvago)
    Simples é o momento
    Em que o rio encanta sereno
    As minhas palavras
    Que brilham nos teus olhos

    ...
    Simples é o momento
    Em que a roupa cai
    E desnudas a alma

    Simples o toque
    Tatuagem invisível na tua pele

    … E, com um sorriso beijo os teus lábios que esperam os meus
    Simples é o complicado do momento que tarda
    Simples somos nós na noite que grita o nome da paixão, febre no ventre…
    (Cris Anvago)

sábado, 17 de outubro de 2015

domingo, 11 de outubro de 2015


    A música balança entre as palavras
    Como posso escrever se as vogais cantam e as consoantes dançam?
    Entro na festa ou vou dormir?
    (Cris Anvago)


    Como o sangue nas veias
    Corre o rio enlouquecido
    Leves gotas de chuva
    Salpicam a pele arrepiada
    Fogueira que não se apaga....
    Dançam os corpos
    Gritam os corações
    O eco dos suspiros
    Que a noite guarda
    Na varanda dos encantos
    Voam borboletas
    Nos olhos de ternura
    Pirilampos esvoaçam
    Iluminam o espaço
    Em danças enérgicas
    E o toque é soberano
    E a força das palavras desvanece
    Violinos soltam-se nas nuvens escondidas
    O vento acaricia as mãos
    Entrelaçadas abraçam a lua
    E o rio continua na esperança de correr mais que o vento…
    (Cris Anvago)
    Em ondas de carícias
    Que se espalham no horizonte do teu corpo nu
    Espalho-me nas emoções de paixão
    E nos sorrisos que rasgam as sombras
    Coloridas do nosso imaginário....
    Vibram na tela os suspiros que crescem
    E se elevam para além da velocidade da luz.
    Na noite iluminada pela lua
    No rio que brilha suave
    Soltam-se os desejos
    Que balançam nas estrelas
    Dançam nos teus olhos
    Em melodias belas
    Na janela do meu sorriso
    A voz que te abraça
    No paraíso que nos envolve
    Devolvo-te o beijo em pétalas de rosa
    Suaves e perfumadas
    A felicidade é toque
    Paixão e amor!
    (Cris Anvago)