domingo, 18 de outubro de 2015

    Reinvento-me
    No encanto do canto da sereia
    Que existe nos sonhos
    Imaginados nas profundezas do mar
    Mar que se eleva nas ondas que transbordam no meu corpo.

    ...
    Reinvento-me
    No quadro inacabado da tela em movimento
    No sabor das cores que transbordam de mim

    Reinvento-me na poesia sem rima
    Livre mas repleta de emoções
    Lágrimas de felicidade que molham as palavras

    Reinvento-me no toque suave
    Nos lábios molhados
    No corpo que geme

    Reinvento-me sempre em ti!
    (Cris Anvago)