domingo, 29 de junho de 2014

Saboreia-me...
Sou o vinho que mais gostas
A fruta que te faz sorrir
Sou o mar onde mergulhas
A nuvem que embala os teus sonhos...
(Cris Anvago)
No meu corpo despido de ti
A ausência da tua pele
A chama ainda aquece os poros
Que exalam o teu cheiro
No dia que se aproxima
Estás em mim sempre meu amor
(Cris Anvago)
Rostos sem expressão
Movem-se como se tivessem rumo
No caminho coberto de flores
Flores que são pisadas
Por corpos em desalinho
Que avançam sem destino
Sem luz, sem brilho
Olhares que não se cruzam
Porque estão nas cabeças pendentes
De quem sente que leva todo o sofrimento nos ombros...
Não sentem o perfume das flores
Porque já não sentem a vida
Existem para sofrer e nada fazem para mudar
Rostos sem expressão
Que se arrastam…
Vazios…
E tão cheios de amor para dar…
Não sentem…
Apenas sofrem
Nem sabem bem porquê…
(Cris Anvago)
Se um coração se afasta de outro essa distância é transparente no olhar…(Cris Anvago)
Dancei nas tuas carícias
Escorreguei nas tuas delícias
Mel em mim
Beijos intensos e prolongados
Corpos que suam
Que não querem ficar parados
No sabor da onda que vai e leva o gemido
De amor fresco que se solta de ti
Abraça esta praia que é tua
Habito a ilha que tu és...
Canto em voz baixa os teus encantos
Magia de ti que se entranha na minha pele
Deixa-me navegar-te, ler-te, balançar-te
Nas palavras invisíveis que se soltam dos meus dedos
Nas tuas mãos que acolhem os meus segredos
Abraça-me e serei o teu sol
Serás a minha lua…
(Cris Anvago)
Dá-me a tua mão...vem passear comigo no meu sorriso...(Cris Anvago)
Não sei nada do mar...mas gosto de mergulhar em águas límpidas e profundas onde os mistérios são transparentes mas intangíveis... (Cris Anvago)

Foto

Foto

QUERO-TE!

Nas manhãs polvilhadas de carinhos
Nas tardes de sol escaldante
Nas noites de lua cheia
Gritos de loucura, paixão, ternura
Nos ponteiros estonteantes do relógio
De tanto rodar, no mesmo movimento
Sem descanso, sem encanto
Eu quero-te apesar do desencanto da vida...
Nos minutos que seguem
Na noite perdida
Perdida de amor por ti
Suaves as minhas mãos que vivem
No teu corpo e se esquivam
Dos movimentos bruscos
Suavidade do teu coração acelerado
Compassado o meu cérebro no meu coração descompassado
Quero-te tão intensamente
Que não sei sonhar com esta intensidade
Só sei amar-te
Como a onda lambe a areia
Como o náufrago anseia e sonha pela sereia
Amo-te
Perdida…mas sempre inteira!
(Cris Anvago)

SENTIR...DEMONSTRAR...

Entre o sentir amor e demonstrar amor
A diferença é enorme
Pode-se sentir amor
Só, calado, quieto
Mas ao extravasar esse sentimento
Deixar escorrer as lágrimas de alegria
Sorrir de emoção
Tocar com carinho e paixão...
Surpreender o ser amado
Pequenos gestos, grandiosos sentimentos
Dizer, abraçar, beijar
Deixar o toque fluir
As mãos de veludo amaciarem o corpo em brasa
Ser fogo, vulcão!
Amar intensamente
Entregar-se sempre
Demonstrar essa mágica emoção
Amar de dentro para fora
Simplificar este sentimento
Emaranhado e perdido entre a razão e o coração
Estranhamente belo e assustador ao mesmo tempo
Por ser Tudo!
Por querer ser infinito
E…o infinito
O…sem tempo
O…para sempre
Assusta
Mas mesmo assim…
É belo amar!
(Cris Anvago)

Foto

NO AMOR

Não existe calendário
Porque não existem meses, dias ou horas
Para amar não existe tempo físico
Existem sensações físicas maravilhosas
Corações que aceleram sem controlo
Loucuras incontáveis
Não existe o Eu e o Tu
Existe o Nós...
Peles que se arrepiam
Veias que fervem
Olhos que riem
No amor tudo é possível
Desde que as duas pessoas queiram, gostem e disfrutem
O Amor é pleno quando é intensamente vivido!
(Cris Anvago)


Foto

domingo, 22 de junho de 2014


Foto
Tanto se fala em amor
Tão pouco se faz por amor…
(Cris Anvago)
Tantas vezes me critico…
A impulsividade em mim é absurda
A tolerância, por vezes, é excessiva
Existem defeitos em mim que me irritam
Digo o que penso verdadeiramente
Por vezes sou fria e distante
Por fora sou indiferente
Por dentro sou o oposto
Tão diferente do que mostro…
Protejo-me assim ou prejudico-me?...

O tempo vai dando as respostas…
E eu vou sentindo…na pele…


Só quem gosta de mim...me conhece um pouco...
(Cris Anvago)

Foto
Quando o meu corpo amanhece
Perto do teu
A magia acontece, sou flor de luz
Acorda a pele em chamas
Murmuro o teu nome
Acordas e recordas-me como é maravilhoso amar-te…
(Cris Anvago)
O caminho da vida tem muitas curvas
Precisamos ter a noção que temos que contorná-las e não seguirmos em linha recta...poderá ser o fim da linha curva que se parte em nós...sem reparação....
(Cris Anvago)

Foto

Foto
Gosto que me critiquem saudavelmente, que digam o que pensam, onde errei, o que posso melhorar.
Só assim posso crescer!
(Cris Anvago)


PAPEL EM BRANCO

Numa folha de papel branco
As minhas palavras derramadas
Estão cheias de sentimento
Choram e riem
Em cada ponto, um final, que pode ser feliz ou doloroso
As palavras, por vezes, também dançam
Ao som da melodia do meu próprio corpo
Sentir da minha alma...
Coloco o coração nas palavras
Elas sorriem, dançam ou choram
Tudo depende de mim
Sou eu que as desenho
Na folha de papel branco
Que acolhe todo o meu sentir
Todo o meu amor
O meu viver!
Nas palavras desnudo a minha alma
Rebolo e rolo no labirinto dos pensamentos
E escrevo tudo o que passa por mim
Na pele, no coração, na mente
Cansada dos barulhos citadinos
Quero a praia, a montanha, a minha paz
Sou livre nas palavras que exalam o odor da minha pele
Selvagem…e doce…
(Cris Anvago)
Calei as minhas palavras
Fixei o meu olhar nas tuas
Bebi o teu sentir
A emoção que transbordas
Senti nos poros cada palavra
Na minha pele nua
Vestida por cada sílaba tua
(Cris Anvago)

FORÇA EM MIM

Sacudi as minhas lágrimas
Aquelas que não viste
Dei a volta à muralha do desespero
Saltei, arranhei-me mas continuo
Lutar é o meu destino
A cada dia que nasce a batalha recomeça
A tempestade não me vence
Sou mais forte que o vento...
Resisto e insisto sempre
Não tenho tempo
Para coisas banais e insignificantes
Sou de grandes batalhas
Onde mostro e uso as minhas garras
Sou forte na fraqueza que sinto
Sigo em frente e não desisto
Sou mais forte que tudo o que existe!
(Cris Anvago)
Está em mim o teu odor
Misto de mar e flores selvagens
Os teus beijos intensos e suculentos
Têm o sabor das amoras silvestres
Mel que escorre dos meus lábios
Espalha-se pelo corpo
Vem adoçar a tua boca em mim…
(Cris Anvago)
A água salgada tonifica a minha imaginação
Refresca o meu corpo
Cada onda é diferente da anterior
Assim como cada minuto não se repete em mim
Muitos pensam que me conhecem
Poucos me sentem
Sou onda que se renova
Sou a espuma branca
Trago sentimentos
Levo segredos...
Sorrisos, medos, inseguranças
Rebento na praia da minha imaginação
Sou maré alta e maré baixa
Mas sempre mar…
(Cris Anvago)

domingo, 15 de junho de 2014

SILÊNCIO

No silêncio toda a verdade do sentir
Todo o coração que encanta na pureza da harmonia dos corpos
No silêncio ama-se e tudo se diz
Tudo se sente e transmite-se
Osmose de sentimentos e prazeres que se vivem quando o amor é maior que as palavras
No silêncio o grito de todas as palavras é soberano
No silêncio
A verdade…...
A cascata de água cristalina
Nas gotas que escorrem pelo teu corpo
É no silêncio que te sinto
Me reinvento e me desnudo
Amo-te tanto no silêncio…e tu sentes…
(Cris Anvago) 


Foto


Foto
Bebe o interior do meu sorriso
Num longo beijo onde as línguas se abraçam e dançam...
(Cris Anvago)
És a minha ilha deserta
Onde me perco e me encontro
Onde os sonhos mergulham
Nas águas cristalina do teu corpo
És o perfume silvestre
As cores coloridas com que me visto
Sou festa em ti
Onda que se espreguiça na areia
És a minha ilha deserta
Povoada por mim...
Os odores misturam-se
Respiro o teu sal
Bebo o teu sabor
Sou sol que ferve nas tuas veias
Paixão, luz, loucura, amor…
(Cris Anvago)
No final do dia
Dispo as preocupações
Solto o meu sorriso
Lanço-me no céu da loucura
Só quero alcançar o paraíso
Nos teus braços que me esperam
Beijar os teus sonhos
E recomeçar a viver!
(Cris Anvago)
Já me disseram que os sonhos se compram
Não concordo!
Os sonhos conquistam-se e vivem-se!
(Cris Anvago)
Oscilo nos teus sonhos
Prendo-me neles
Se forem iguais aos meus…
(Cris Anvago)
Num abraço ofereço-te o muito do pouco que sou…(Cris Anvago)
Não preciso de palavras para amar
Os silêncios dizem-te tudo
Sente-me profundamente
Fecha os olhos e vê a paixão
O toque que te eleva
És pássaro livre entre as nuvens
Saltas do sol para a lua
Sorris…
E chamas-me tua
Não preciso palavras...
Só o teu corpo que treme
A noite geme em ti
Porque é dia amor
Silêncio…
Flor
Velas que iluminam o amor
Pétalas de rosa no chão
Pétalas no corpo
Odor teu na pele que é minha
Silêncio…gemido…explosão!
(Cris Anvago)


Serei o pouco que vês e o muito que sentes
Ou o muito que não vês…e o muito que eu sinto?
(Cris Anvago)
Não desligues a tua vida
Estão em curso novas actualizações…
(Cris Anvago)
No sol que me queima, preciso beber o teu beijo para me refrescar...(Cris Anvago)
Faz do meu corpo a tua tela
Derrama toda a paixão e desejo em mim
Quero ficar colorida
Com vida!
Pinta-me com garra
Com loucura e sem pudor
Quero cores de amor…
Sabes pintar?
(Cris Anvago)
Na geometria dos meus pensamentos
 Onde a ternura se enlaça
 Os movimentos abraçam-se
 Nos corpos que se querem unidos
 Corações que são anéis entrelaçados
 Mãos que são conchas
 Onde se revelam mistérios sonhados
 Fantasias coloridas
 Da vida que se faz de amor
 Geometria de mim
 Colorida
 Sou tela onde as cores me enfeitam…
(Cris Anvago)

 Pintura: Míriam Merci

Foto: Geométrico.
Fervilha nos meus lábios o teu beijo
O odor do teu corpo está em mim
Somos selvagens e doces
Exclamações de prazer
Soltam-se do teu corpo
E ficam tatuadas em mim…
(Cris Anvago)
Gosto sentir a tua pele a escorregar na minha…(Cris Anvago)
Sou toque…voz…luz
Sou ausência…silêncio…escuridão
Sou louca e racional
Sou muitas vezes tudo
Sou suave e agressiva
Sou amante e amiga
Sou igual a toda a gente!
(Cris Anvago)
Na minha imaginação sou tudo
Na tua realidade sou o que quiseres...
(Cris Anvago)
Não me ofereças flores
Leva-me a um jardim
Não me olhes com desejo
Bebe o meu beijo
Saboreia o que te ofereço
O meu toque
A suavidade da alma
O fogo da loucura
Ofereço-te a melodia
Só precisas dançar…
(Cris Anvago)
Persegui e insisti nos meus sonhos
Saboreei e continuo a saborear as minhas conquistas
Sorrio nas minhas realidades já sonhadas
Vivo e amo sem amarras
Conquisto-me nos pequenos detalhes
Ilumino-me para te poder iluminar
Vivo para amar!
(Cris Anvago)
Para ser amigo não é preciso estar sempre perto…é preciso estar dentro!...(Cris Anvago)
Escorre na garganta o vinho
Já é madrugada
Sorrio com o meu corpo
Que freneticamente chama pelo teu
Olho-te para além da luminosidade do teu olhar
Profunda a minha voz
Sei que ficas para me degustar
E eu escorregarei em ti
Sem pudor…
Vem que o dia ainda não acordou…
(Cris Anvago)
Tenho o corpo protegido
Com uma nuvem macia
Branca e suave
Basta um sopro
Sou nua…
Suave...Sou tua...
(Cris Anvago)

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Se vês as minhas asas podes voar nelas
Mas agarra-te bem ao meu corpo para não caíres
No espaço vazio da vida que corre sem razão

A lua pensa que está só porque ignora as estrelas

O sol aquece
Mas só lhe dão valor quando não aparece!

As nuvens são loucas quando correm
Empurradas pelo vento que se acha soberano

O grão de areia na praia parece insignificante
Mas, às vezes, irrita muita gente...

Se vês as minhas asas, pensa se é seguro voar nelas
Sente-me primeiro para embarcares numa viagem louca e sem razão
Onde não existe o infinito, nem o vento, nem o chão
Agarra-te bem ao meu corpo se sentes que sou segura

Nunca te esqueças de observar os meus pormenores
Aqueles que escondo nas entrelinhas dos olhares

Voa sem medo, as asas, são só um pequeno segredo
Se existem ou não…depressa descobrirás…
(Cris Anvago)
Vivo na memória da minha realidade…(Cris Anvago)
Gosto de mostrar o meu sorriso
Escondo as minhas lágrimas
São minhas e só eu sei o seu significado
Nos segredos das minhas lágrimas
Um bocado de mim que não revelei
O meu sorriso é partilhado
Sou egoísta eu sei
Não partilho as minhas lágrimas!
(Cris Anvago)


Foto


Foto
Se o que escrevo toca o teu coração
A minha voz mergulha na tua alma
O meu silêncio preenche o teu corpo
Fazes parte de mim!
(Cris Anvago)
Os meus olhos brilham muito
Quando olham para os teus
Mas os teus perdem o brilho
Quando não olham para os meus
(Cris Anvago)
A Paisagem perde o encanto
Se não fizeres parte dela
A espera torna-se pranto
Se tu demoras
Espero-te em cada minuto
Na janela que não percebe
O porquê do meu olhar parado no tempo da ausência de ti...
(Cris Anvago)

Join us╰▶ ArtPics - Photography © Ekaterina Romakina
http://instagr.am/ArtPx


Foto: Join us╰▶ ArtPics - Photography © Ekaterina Romakina
http://instagr.am/ArtPx




No meu toque
Existe a sensibilidade de um coração que pulsa
Na tua pele
O arrepio que vive, renasce e explode
A paixão é luz que brilha
E a escuridão permanece lá fora…
(Cris Anvago)

domingo, 8 de junho de 2014

Hoje a lua é o meu sol...(Cris Anvago)

PENSAMENTOS DERRAMADOS

Canta-me no teu imaginário
Onde as estrelas são cadentes
E os compassos não esperam
Dança-me nos sonhos
Que se derramam no corpo
Salgam e pele
Vibram nos poros selvagens
Gato que se enrosca...
Esconde as garras
Macios os pensamentos
Doces os momentos que se encontram na noite…
(Cris Anvago)
Eu seria inteligente
Se escolhesse só os caminhos fáceis de andar
Onde o sol não se esconde
A lua sempre é cheia
As estrelas penduram-se nas nuvens
Os sorrisos são girassóis enormes
Eu seria inteligente
Se não escolhesse os caminhos sem luz
Onde tropeço e desapareço no escuro
Mas não sou inteligente…
Distraída…por vezes…sou muito!... Quando quero!
(Cris Anvago)
Namorei o teu sorriso
Prendi o teu corpo
A alma voa
O coração acelera
O beijo ferve e envolve
Fruta doce no céu da minha boca
Pintei o teu nome num balão
Soltei o riso
Prendi o teu corpo...
...ao meu...
(Cris Anvago)
Quando quero luto
Quando não quero brinco...
(Cris Anvago)
Podem fazer-me uma rasteira e eu cair,
mas quando me levantar...é bom não estarem perto de mim...
(Cris Anvago)
Sou tantas…que acabo por não ser nenhuma…(Cris Anvago)
Estou quente…quente…quente!
Se tocas em mim
Queimas-te!
(Cris Anvago)
As palavras são mais rápidas que os meus dedos
No ponto mais profundo da tua pele
Quando dedilho poesias
Gemes uma canção de alegria
Sorris, ris, encantas-me com a tua sensualidade…
Rendo-me à tua sensibilidade…
Sou tua!
(Cris Anvago)
Saboreio os teus delírios
Navego nos teus suspiros
Entro nos teus sonhos
Sou a tua realidade!
(Cris Anvago)
Não digas o meu nome por dizer
Sente-o na pele
O beijo
O arrepio
O vulcão que em ti explode
E se derrama….
(Cris Anvago)
Rasga-me a roupa!
Beija-me o coração...
(Cris Anvago)

AMAR-TE!

Vou envolver-te no meu corpo
Numa melodia só nossa
Vou acariciar-te num toque só teu
Enrosco os meus sonhos em ti
Satisfaço as tuas fantasias
Amo-te até te faltar o fôlego
Vais sentir-me só tua
Mar revolto...
Vulcão
Energia
Luz
Lua!
(Cris Anvago)
Escutei o teu corpo
Dei-lhe tudo o que ele queria
Se a tua pele ainda me sente
O teu amor ainda está vivo
O meu toque está em ti
O teu suspiro dentro de mim
O grito de prazer calado
Está nas minhas mãos
Como uma gaivota
Solto-o no vento
O universo de amor é nosso!
(Cris Anvago)
As palavras não se soltam
as frases não rolam
sem pensar em ti…
(Cris Anvago)

O NOSSO AMOR

O nosso amor é como uma fogueira
que não se apaga
A brisa que passa são as minhas carícias em ti
os nossos beijos que nos aquecem
Vendaval de emoções que nos invade
e nos solta
A chuva miudinha, corpos que transpiram
Enormes ondas…...
…são os nossos corpos ondulantes de prazer
A tempestade…os nossos orgasmos...
Explosões de alegria dos nossos corpos
Intensa fogueira do nosso amor
(Cris Anvago)
Quero apertar-te nos meus braços
não te quero largar
quero sentir o teu corpo a balançar no compasso do meu.........
(Cris Anvago)

VIVER NO TEU AMOR

Quero viver no teu amor
Como as ondas vivem no mar
Campos de flores coloridas
Para contigo passear
Quero perder-me na tua boca
Meu sorriso de luz
Meu amor
Não sei respirar sem ti...
Quero o silêncio no meu corpo
Para me perder no teu
Nas tuas margens navego em liberdade
(Cris Anvago)
Na minha pele a tatuagem do teu carinho
O beijo prolongado
O amor vivido
(Cris Anvago)

GOSTO

Gosto que me sintas nas palavras que lês
Que me leias nos silêncios que sentes
Que me abraces no espaço
Gosto do som da tua gargalhada
Dos olhos que brilham apenas por tudo
Detalhes que não são de amor
Por vezes não são nada
Adoro quando te atrapalhas...
No silêncio que não se faz na noite
Todos os barulhos são gritos
Todos os gestos intensos
As palavras têm outro eco
Gosto que me sintas
Que me tenhas a teu lado
Como um livro que gostas de reler
Com as palavras abraço-te
Mas é nos silêncios que te amo!
(Cris Anvago)
As palavras ditas não podem ser apagadas
Boas ou más ficam…
Os gestos de amor ficarão para sempre
Fazem parte da pele
Do corpo, do coração…
O toque, o cheiro, a doçura de um olhar
A ternura de um beijo
O calor de um abraço
Quem esquece os gestos…não amou…
(Cris Anvago)
Deito fora as vírgulas os pontos
As exclamações e interrogações
JuntoTodasAsPalavras
Para ficarem iguais aos nossos corpos
Sem espaços nem parágrafos
(Cris Anvago)

VIVE NO MEU AMOR

Bebe-me como se estivesses no deserto
Fica no meu corpo e esquece o amanhã
Prova os meus beijos que sabes de cor
Dança nos meus dedos que te afagam
Arrepia-te na língua que balança
No céu de ti quero ficar
Despida de pudores
Na minha pele só a fragância da tua...
Demora no abraço
Vive no meu corpo
(Cris Anvago)

TEMPO

Perde-se tempo
Quando nos deixamos dormir na vida
Perdemo-nos nos nossos passos errantes
Navegamos sem rumo
E, o tempo fica tão distante
Cansamo-nos do tempo
Porque não o aproveitamos
Em vez de sorrir choramos...
Penas que o tempo nos quer dar
Arrastamo-nos nas esquinas das horas
Sem aproveitarmos os momentos
A suavidade dos minutos
Corremos com loucura para o infinito
Sem saber como lá chegar
Tempo não é perdido se for preenchido
Com carícias, olhares, malícia
Amor sem tempo
Onde todos os minutos são prazeres
Tempo?
Sempre tenho para amar!
(Cris Anvago)
Limei as arestas das palavras para as frases serem mais suaves (Cris Anvago)

MOMENTO

Nos olhos o delírio da paixão
No corpo a frescura do desejo
Seios que pulsam
Na febre da língua que saboreia
Veias onde o sangue ferve
O momento de prazer
Que intensamente se derrama
Lábios, olhares, movimentos
Mar, vulcão, chama!
(Cris Anvago)
O coração preso ao coração
Os lábios colados nos lábios
As mãos presas nas mãos
Os corpos deslizam
As línguas afagam-se
Olhos nos olhos
Ondas que vivem na praia
Dos corpos sem rumo
Livres balançam…
Melodia que se encanta...
No quadro que se anima
Nas cores que se adivinham
Arco-íris de desejo que sobe
Lua que brilha como sol…
EU em tí Amor….
Loucura, paz, ternura…
Loucura!!
(Cris Anvago)

domingo, 1 de junho de 2014


Foto

AUSÊNCIAS

Nas exclamações das palavras que não são ditas
Os parágrafos acumulam-se de silêncios tristes
As interrogações aumentam….
Palavras que ficaram por dizer
Gestos ausentes de emoções…
Exclamações!!!
Interrogações????
(Cris Anvago)

ETERNAMENTE TUA

Desce no meu corpo
Como se fosses gotas de chuva
Os meus mamilos esperam pelos teus beijos
Os meus seios estão famintos de ti
Veste as minhas coxas de carícias
Deixa que eu sinta o céu nos teus braços
Afaga-me e ama-me
Como nunca amaste ninguém
Como se hoje fosse o último dia de nós!
Intensamente sinto-me tua
Eternamente…pertenço-te…
(Cris Anvago)
Se me pedires o céu
Eu dou-te nuvens de algodão
Pele que se derrete
Ofereço-te as estrelas
Que iluminam o teu corpo
Dou-te a lua
Para que possas dançar
No meu corpo incansável
Sol que te ama e te dá prazer...
(Cris Anvago)

NOITE

Para quem sente solidão
A noite é fria
Desconfortável, tormento…
Para quem sofre
A noite é lamento
Para quem ama
A noite é vivida a cada momento
É felicidade e luz!
Para cada pessoa
A noite de todos nós…
Pode ser tão diferente….
(Cris Anvago)
Meu amor…
Se eu pudesse
Dava-te tudo o que precisas
E não precisarias de mais nada…
(Cris Anvago)

UM BEIJO PARA QUEM ME SENTE

Não brinco com os sentimentos de ninguém
Vivo-os e tento perceber cada pessoa
Cada vivência
Tento entender os problemas
As lágrimas e os risos
Abraçar nos momentos menos bons
Nesses sim, é preciso, um carinho
Uma palavra, um gesto...
Eu estou aqui
Dizem as minhas acções
E estou para abraçar e compreender…
Nos momentos bons sorrio e rio
Alegro-me com cada conquista
Sou assim…
Apesar de não parecer
Aos olhos de certas pessoas
(Cris Anvago)

SEM PALAVRAS

Para que me pedes palavras
Se podes ter o teu corpo
Desenhado de carícias coloridas
Pincéis os meus dedos
Suavemente percorrem os teus poros
Intensamente demoram-se em ti
Não me peças palavras
Ofereço-te paixão...
Derramo em ti o oceano
Para mergulhares no teu prazer
Arrepia-te…sem palavras…
(Cris Anvago)

Foto
Foto
Se hoje não existir sol
Eu ofereço-te o meu calor
(Cris Anvago)

NOS MINUTOS DE TI

Nos minutos do teu pensamento
Os segundos passeiam no teu corpo
Dedos meus que te desvendam
Arrepiam e despem os teus pudores
Quero-te em horas de prazer
Corpos quentes
Água que escorre
Desagua em mim...
Mergulho nos teus pensamentos
Fico nua nos teus olhos brilhantes
Vestes-me com os teus beijos
Quentes de seda e orvalho
Quero-te...
(Cris Anvago)

Foto
Fiz uma canção para ti…
A melodia nasce no teu corpo
As palavras são beijos que nos despem
O refrão dança nas coxas que se agitam
Fiz uma canção para ti
Que grita o nosso amor…
Bate forte nos corações
Agita os nossos corpos
Vibro em ti e danço ao teu ritmo…
(Cris Anvago)

Foto
Não me peças palavras de amor
Saboreia os meus gestos
Bebe os meus beijos
Sacia o teu desejo no meu corpo…
(Cris Anvago)

PRAIA

Nos labirintos do meu sonho
Caminho descalça pela areia fresca
As ondas beijam os meus pés
O vento acaricia a minha pele
Penso-te…
Vivo-te na praia onde caminho
O sonho não é mais que a realidade vivida
Amo-te
Na praia onde caminho…
(Cris Anvago)