domingo, 29 de junho de 2014

QUERO-TE!

Nas manhãs polvilhadas de carinhos
Nas tardes de sol escaldante
Nas noites de lua cheia
Gritos de loucura, paixão, ternura
Nos ponteiros estonteantes do relógio
De tanto rodar, no mesmo movimento
Sem descanso, sem encanto
Eu quero-te apesar do desencanto da vida...
Nos minutos que seguem
Na noite perdida
Perdida de amor por ti
Suaves as minhas mãos que vivem
No teu corpo e se esquivam
Dos movimentos bruscos
Suavidade do teu coração acelerado
Compassado o meu cérebro no meu coração descompassado
Quero-te tão intensamente
Que não sei sonhar com esta intensidade
Só sei amar-te
Como a onda lambe a areia
Como o náufrago anseia e sonha pela sereia
Amo-te
Perdida…mas sempre inteira!
(Cris Anvago)