domingo, 15 de junho de 2014

És a minha ilha deserta
Onde me perco e me encontro
Onde os sonhos mergulham
Nas águas cristalina do teu corpo
És o perfume silvestre
As cores coloridas com que me visto
Sou festa em ti
Onda que se espreguiça na areia
És a minha ilha deserta
Povoada por mim...
Os odores misturam-se
Respiro o teu sal
Bebo o teu sabor
Sou sol que ferve nas tuas veias
Paixão, luz, loucura, amor…
(Cris Anvago)