domingo, 28 de setembro de 2014

    Na imensidão do meu desejo
    Que devora os teus gemidos
    Em segredo navego em ti
    Num orgasmo delirante
    Fico iluminada, fico quente...
    No meu corpo repousas
    O cansaço sorridente
    Na alma que ilumina
    O teu olhar penetrante
    O teu corpo foi meu naquele momento
    Em que fui louca e dancei em ti
    (Cris Anvago)
    Foto de Cris Anvago.
    Não digas
    Que o sol se esconde
    Na retina dos teus olhos
    Quando o meu corpo ferve
    Nas veias do teu corpo...
    Se dizes
    Que sou a paz em ti
    Que a tranquilidade te ilumina
    Serei sol, luz, lamparina
    Só quero que me vejas a sorrir
    No sorriso que te pertence
    Sei que sentes
    Que sou colo e paixão
    Que te amo com intensidade
    Os nossos corpos em comunhão
    Coxas, corpo, agilidade
    Seiva, voz, atracção
    Meiga a voz que te ama
    No coração, na alma que por mim chama
    Amo-te…
    (Cris anvago)

ÉS TU EM MIM

    Quero-te
    Entre o dia e a noite
    Entre o grito e o silêncio...
    Nos momentos frios e quentes
    Entre lágrimas e sorrisos
    Nos mágicos paraísos
    Onde os nossos corpos se espreguiçam
    Onde as ondas adormecem
    Na areia que as esperam
    Línguas que lambem
    O sal que adormece nos corpos
    Vivo-te entre horas e segundos
    Entre instantes que são gritos mudos
    No dia que nasce e desaparece
    O teu corpo ao meu pertence
    Nos teus olhos o mar
    Que desagua no meu corpo nu
    Quero-te mais que a vida
    Sou eu e tu!
    (Cris Anvago)
    Nos olhos
    O Arco-íris
    O brilho
    Do sol
    Na íris ...
    Dilatada
    O perfume
    Da rosa
    Vermelha
    Molhada
    Sangue
    Galopa
    Na veia
    Paixão
    Corpo
    Incendeia!
    (Cris Anvago)
    Foto de Cris Anvago.
    Foto de Cris Anvago.
    Pinta-me com cores quentes
    O meu corpo ferve quando espera pelo teu…
    (Cris Anvago)
    Existem ondas que nos arrastam
    Enrolam os nossos corpos
    Os nossos pensamentos
    Ficamos sem saber o que fazer
    Após a exaustão atiram-nos para a praia...
    Sem forças para nos levantarmos
    Algumas pessoas são como essas ondas….
    Perante essas ondas em forma de pessoas
    Eu sou um maremoto!
    (Cris Anvago)

    Nada é imutável, até uma montanha se pode transformar numa planície…(Cris Anvago)

PALAVRAS EM CASCATA

    As palavras podem não fazer sentido
    Mas, se em todas as vogais e consoantes
    Existir paixão...
    Cada palavra fica com um sentimento próprio
    Abraçam o corpo nu
    Beijam os lábios ávidos de desejo
    Mergulham na luz de um oceano
    Procuram na pérola preciosa
    A concha dos segredos
    Os gemidos do orgasmo
    Que dilacera o silêncio da noite
    As palavras com sentimento
    São luz e vida
    Num corpo que se transforma em cascata
    Que transborda gotas coloridas
    Sentimentos intensos nas palavras cheias de amor
    (Cris Anvago)

      Na suavidade de uma pétala
A tua pele resvala na minha
As cores espalham-se pelo meu corpo
Como as tintas numa tela dinâmica
Envolvem, abraçam-se e beijam-se
Na suavidade de uma pétala
A essência e o odor da tua pele
(Cris Anvago)
        Na suavidade de uma pétala
        A tua pele resvala na minha
        As cores espalham-se pelo meu corpo
        Como as tintas numa tela dinâmica
        Envolvem, abraçam-se e beijam-se...
        Na suavidade de uma pétala
        A essência e o odor da tua pele
        (Cris Anvago)

    Que o momento mágico nunca seja esquecido…(Cris Anvago)

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

INSTANTES

    Instantes
    Em que as mãos vagueiam
    Pela pele que se incendeia...
    Olhar que despe o segundo
    Que escorre no relógio sem rumo
    Instantes
    Em que os corações se amam
    Os corpos em desalinho
    Ancas que se erguem
    Loucura
    Breve destino
    Que se escreve
    Em palavras mudas
    Em suspiros soltos
    Ondas que se elevam
    Mares revoltos
    Suspiros que pecam
    Por serem tão nossos
    Instantes coloridos
    Balões que esvoaçam
    Gaivota que grita
    Rasga o céu quando passa
    Instantes
    Que para sempre ficam
    No corpo que se entrelaça
    No afago
    Que o teu coração abraça
    (Cris Anvago)
    Foto de Cris Anvago.

TEMPESTADE

    Sou tempestade na tua pele
    Habituada a uma leve primavera
    Agitam-se no teu corpo ondas...
    Que antes eram riachos
    Sou chuva nos teus poros
    Após ser sol no teu ventre
    Sou fogo nas coxas que dançam
    Nas pernas que se espreguiçam
    Na cama revolta de nós
    Sou tempestade
    Oiço o eco da tua voz na montanha que subimos
    A respiração ofegante no mar que mergulhámos
    Deixo-te sem rumo
    Sem saberes onde te encontras
    Mas eu encontro sempre o teu lado mais secreto
    Que pouca gente conhece
    Entras na tempestade e corres
    Abraças-me com a intensidade de um furacão
    Sou….ou não?
    (Cris Anvago)
    Podem pensar que sou louca
    As palavras que escrevo
    Falam de beijos e da boca
    Mas mais do que corpo
    Sou amor que nasce...
    No interior de um coração louco
    Tristezas, quero esquecer
    E lembrar sempre os sorrisos
    Como cores a florescer
    Numa tela ainda em branco
    Um pintor calado vai murmurando
    Com o pincel cheio de cor
    Vê a natureza com o seu sentir
    Tu vês uma árvore velha
    Ele vê a vida a florir
    A vida é sempre complicada
    Cada um a sente á sua maneira
    Mas se pensar que o amor não vale nada
    Vai viver sempre a pensar que nada valeu a pena
    (Cris Anvago)
    Porque dizes que o vento é lamento?
    Pode ser revolta no teu corpo
    Seres tu!
    Na vida
    Em movimento…....
    (Cris Anvago)

SOU

    Conquistei muitas coisas na vida
    Mas a principal foi o amor
    Que enaltece todos os sentidos...
    A compreensão é amar
    Amizade é estar
    Escrever uma simples palavra
    Para quem se encontra longe
    É reconfortante
    Visto as palavras de emoções
    Para que cheguem também aos corações
    Se sou brisa, tempestade ou sol
    Só quem me conhece saberá dizer
    Sou inteira no que faço
    Não sou pedaços de sentimentos
    Sou um sentimento enorme
    Que abraça o teu sentir
    Que tenta compreender sempre
    Estar ao lado
    Distância é uma palavra
    Amor é um gesto
    Sou maior que eu
    Para quem me ama
    Nua
    Sou o calor do sol
    A onda que envolve
    A lua que enlouquece
    Sou inteira
    Corpo que estremece
    Sou…..
    (Cris Anvago)
    Sou vento
    Que se espalha por todo o lado
    Arrasto comigo o que quero
    Quem eu quero
    Posso ser brisa...
    Quando beijo teu o corpo
    Posso trazer comigo uma nuvem
    Inundar a tua pele
    Sou vento
    Mas posso ser tudo o que quiseres!
    (Cris Anvago)

terça-feira, 23 de setembro de 2014



A voz
Pode abraçar e beijar corações de todo o mundo
A voz
Pode ser poderosa
Ser gentil, meiga, ter emoção
Por vezes sou voz
Outras sou palavra
Sempre sou sentir!

(Cris Anvago)

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

sábado, 20 de setembro de 2014

Foto
As palavras andam tão incertas
Que se misturam e se atropelam
Falamos demais
Repeti-mo-nos
E, afinal é tão simples
É só deixar o gesto acontecer
Guardar as palavras que atrapalham o beijo…
(Cris Anvago)
Bom é sentir um abraço que afaga as nossas lágrimas...
(Cris Anvago)
Nas voltas e reviravoltas
Que dou no teu corpo
Acabas sempre por encontrar o meu…
(Cris Anvago)

INSÓNIA

Enrolada nas horas
Só o pensamento voa
Numa noite de insónias
Leva-nos para onde não queremos
Caímos nos minutos
Despertos pelo que não queremos
Nos lençóis amarrotados
No desassossego que nos invade
O dia nasce
Os olhos querem fechar-se...
Quando têm que se manter acordados
Não querem saber de feriados
Esquecem-se que têm que trabalhar
E o corpo sofre a quebra
De uma noite em branco
Estupidamente a nossa mente
Não sabe quando são horas de dormir ou acordar
Falta-lhe o relógio!
(Cris Anvago)
Não amar
É como olhar para um céu imenso
Negro, vazio de estrelas
Isento de todas as fases da lua
(Cris Anvago)
Fico despida sem o teu corpo…(Cris Anvago)
Mesmo na ausência do olhar
O toque é a palavra certa para te amar!
(Cris Anvago)
Diz-me com voz doce
O que o meu corpo quer ouvir
És mel que escorre
Que dá vida ao meu desejo
Desejo-te até não poder mais
Quero amar-te na eternidade de mim!
(Cris Anvago)
Visto-me de ti
No meu corpo o teu cheiro
E…tanto…do que me ofereceste…
Visto-me com o teu olhar
Enfeito o teu corpo
Com as minhas mãos
Vestida de ti
Danço
Escrevo a melodia de nós
Escrevo palavras invisíveis...
Na tua pele suada de prazer
Visto-me
Vestes-me
Vestimo-nos da nossa paixão!
(Cris Anvago)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Foto
Foto
Foto
Por vezes as minhas palavras também são fortes
Depende de quem as ouve
Também a onda vem com uma força imensa
E ao chegar á praia
Acaricia a areia…
(Cris Anvago)
Vivo quando passeio por ti
Sorrio quando toco a tua pele
És nuvem que fica em mim
Suavidade que invade o meu corpo
Sou o teu céu e o teu mar
Mergulhas em mim
Faço-te sonhar
Com o impossível
O inconstante
No momento ...
Em que os nossos poros se encontram
É inverno porque gotas transbordam de nós
Na humidade da estação que se instala nos nossos corpos
Somos primavera a florir
E verão que escalda todos os sentidos!
(Cris Anvago)
Não esqueço uma palavra que me abraçou
Um gesto que me fez sentir bem
Não esqueço quem me quer bem!
(Cris Anvago)
O desejo sempre nasce na paixão de um olhar…(Cris Anvago)
Quem disse que o céu é mais escuro quando nos sentimos sós?
Pode existir alguém que ilumine a nossa noite
Com uma palavra de conforto
Um gesto, um carinho
Que nos sorria
Que sentimos mesmo estando longe…
Quem disse que estar longe não é estar perto?
Perto e longe…
Subjectivo demais para o meu sentir!
(Cris Anvago)
Na nossa vida tudo passa…
Ou será que fica?
(Cris Anvago)
Vem…
Dá-me a mão
Vamos mergulhar naquele mar
Que parece infinito para nós…
Vem…
Mergulha comigo nas águas límpidas
Sente o sal na pele
Beija a concha que se abre
Pérola preciosa
Que precisa ser cuidada para crescer...
Vem…
Imagina-te no fundo do mar
Onde os cavalos-marinhos dançam para ti
Onde as estrelas brilham
Vem…
Aninha-te nos meus braços
Deixa-me mergulhar no mar de ti
Sereia que canta e encanta na noite
Onde as estrelas iluminam o mar
Onde a lua também quer naufragar
Vem….
(Cris Anvago)
Hoje
Beijaste as palavras que não escrevi
Abraçaste os silêncios que te ofereci
(Cris Anvago)
Na suavidade de um toque
A intensidade de um beijo
Um arrepio que nasce e se expande pelo corpo
Fogueira de paixão e desejo…
(Cris Anvago)

MISTÉRIO?

No pensamento
Por vezes
As emoções fluem tão rapidamente
Que o sol aparece por um momento
E no segundo seguinte o céu fica escuro
Apocalipse de ideias negativas
Assombram mente e corpo
No pensamento...
Indescritível como as ideias correm como nuvens apressadas
Ao ver um sorriso
Admirar uma flor
Passear na floresta
Mergulhar no mar
Sentimos cores
Sabores
O pensamento
É um mistério que não dominamos
Pensamos conforme vivemos
A correr
E, por vezes, nem a nós nos vemos ou sentimos.
(Cris Anvago)

segunda-feira, 15 de setembro de 2014


Uma antologia onde irei participar, a união entre Portugal e Brasil, poesia escrita por Brasileiros e Portugueses. 
É com alegria que entrei neste projecto proporcionado pelas Edições OZ (Paula OZ) - ENTRE O FADO E O SAMBA.















sábado, 13 de setembro de 2014

Que o vento seja suave
O sol seja quente
Que o corpo arda de se desejo
No vulcão que explode nas veias
Que o olhar seja alegre
Que escorram lágrimas de alegria
Que o prazer não seja noite ou dia
Que não exista hora para se querer
Amar sem regras
Tabus ou amarras...
Que as noites sejam apaixonadas
Loucas e claras
Que o amor prevaleça em todos os momentos da vida!
(Cris Anvago)
Não cales o sorriso
Que desponta nos teus lábios
Não emudeças os teus olhos
No momento de amar
O teu sorriso
O teu olhar
O teu gemido
Revela a paixão
A liberdade que do teu corpo se solta
Tudo o que oiço...
Vejo e sinto
Paixão, desejo
Fogo que te ofereço de mim…
(Cris Anvago)
Ouve a voz do meu corpo
Dança na melodia que preenche o teu
Rebola
Enrola-te
Nas minhas coxas
Move-te
O ritmo pode ser o meu
Mas o prazer
Será muito teu
Enrola-te e liberta-te em mim…
(Cris Anvago)

É NO SENTIR

Não penses
Sente apenas
Não fales
Sente
Abraça-me
Sente
É no sentir que nos amamos…
(Cris Anvago)
Beija-me
Simplesmente beija-me
Sente a minha alma que flutua
De mãos dadas com a tua….
Beija-me….
(Cris Anvago)

MAR QUE TE LIBERTA

Na beleza dos momentos
Que são nossos
O relógio invisível das emoções
Onde os segundos são inconstantes
Dependem das batidas do nosso coração
Nos momentos tão nossos
Cascata de água fresca
Inundam os poros em fogo...
Nua mergulho no teu rio
Inconstante e irrequieto
O teu corpo irrompe no meu mar
Onda que navega e que refresca
Pupilas dilatadas de prazer
Sou fogo e mar
Cascata e floresta
Tudo o que desejas
Grito de paixão que te liberta!
(Cris Anvago)
Sei que não me pedes o impossível
Eu já te ofereço os meus sonhos…
(Cris Anvago)

SEIVA

És a minha seiva
Sobes dentro de mim
Circulas no meu corpo
És vitalidade
Fonte de juventude que jorra em mim
No orgasmo que te ofereço
No gemido em surdina
Grito o teu nome e renasço...
Expando as minhas emoções
Na força que existe em mim
Seiva que me rejuvenesce
Flor que desabrocha
Corpo em movimento
Coração que se renova
És seiva em que circula em mim meu amor…
(Cris Anvago)
Por vezes uma palavra
Rasga a pele que sangra
Por vezes um toque
Estanca o sangue que escorria
Cicatriza a ferida
E…
Faz esquecer essa palavra que cortou…
O silêncio que afaga pode curar feridas…
(Cris Anvago)

ÓCULOS DE SOL

Tirei os meus óculos escuros
Senti-me nua!
Conseguias ver-me através dos meus olhos
Entraste em mim
Sentiste o meu sentir
Estavas por dentro da minha pele
Viste que corrias nas minhas veias
Que o meu coração sorria para ti...
Sem os óculos escuros
Fiquei completamente nua
Sem palavras conseguiste ler-me
Navegar nos meus sonhos
Sonhar comigo
Viver nos meus olhos
Juntar o teu olhar ao meu
Conseguiste ver-te em mim
Porque vives dentro do meu corpo
Vives comigo este amor eterno
Intenso e maravilhoso
Tirei os óculos de sol
Mergulhaste na luz
Que existe dentro do meu Eu
No silêncio do momento
Ficaste a saber que estou iluminada de Ti
(Cris Anvago)
Foto
Existe em nós um cordão umbilical invisível que nos protege e não nos faz esquecer que sempre existe amor mesmo antes de nascermos…(Cris Anvago)

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Sentes-me…
O teu coração é mais sensível e macio que a nuvem que corre no céu azul…
(Cris Anvago)

NEM SABES O QUANTO TE AMO

Amo-te tanto
Que não consigo exprimir por palavras
Ofereço-te gesto, olhares
Abraços e afagos
Sinto que nem consegues imaginar
O imenso amor que tenho por ti
Tu és a minha vida
Impossível viver sem ti...
És Tudo para mim
Muito mais do que pensas
As tuas lágrimas rolam pelo meu rosto
O teu sorriso faz o meu coração feliz
Por muito que tente
Sinto-me impotente
Em demonstrar que fazes parte de mim
És tu que fazes com que eu viva
Tu
Sim Tu!
Espero que sintas o meu querer-te
A minha louca e saudável
Dependência de ti
Meu Amor
(Cris Anvago)
Foto
Um sorriso não consegue apagar a tristeza de um olhar…(Cris Anvago)
Nunca soube nada da vida, por isso tenho aprendido tanto e continuo sempre a aprender…(Cris Anvago)

OS TEUS OLHOS

Podia escrever sobre os teus olhos
Mas a expressão do teu olhar é indescritível
Não existem palavras
Nem pintura nem fotografia
Que captem as palavras que os teus olhos suavizam
Só os meus entendem os teus!
(Cris Anvago)
Foto

sábado, 6 de setembro de 2014

Amar é dançar uma valsa antes de um tango…(Cris Anvago)
A água que cai sobre ti
Não se entranha nos teus poros
Escorrega no teu corpo
Deixando-o só molhado e fresco
O meu toque que passa suave em ti
É tatuagem que permanece
Na tua pele que fica quente
Que arrepia e não esquece
O sentir do amor que se prolonga
No odor que fica...
Imagem na retina dos teus olhos
Que me encantam
Todos os sentidos ficam alerta
Corpo que se ilumina
No afago que o amor sempre desperta
(Cris Anvago)
Na tela em branco
Desenhei a minha pele nua
Cor de fogo
Colada na tua
(Cris Anvago)

NÃO EXISTEM HORAS

Fora de horas
Falamos sem pensar
Não é raciocínio lógico
É a loucura de querer
Que não existam horas
Que limitam a nossa vida
Queremos mais que 24 horas…
São poucas para viver…amar…sonhar…...
Não precisamos de relógio
Os ponteiros formam um círculo
Ficamos presos
No círculo invisível das horas
Sempre as mesmas
Sem surpresas
As horas não existem para quem ama
Pulamos fora do relógio
Trocamos as horas nocturnas por diurnas
Seguimo-nos pelas estrelas…sem hora
Acariciamos a lua que aparece de dia
Que bom amar loucamente
Só com o bater do coração
Amar sem horas!
Ser livre e doida
Assim sou eu!
(Cris Anvago)

SE FOSSE POETA

Sempre te sinto
Nas palavras que escrevo
Pinto os meus sonhos
Com as cores que são nossas
Se fosse poeta
Estarias sempre presente
Em rimas perfeitas

Na imperfeição dos meus pensamentos
Que voam pelo infinito
Mesmo não tendo o dom da escrita
As palavras tremem
Pela harmonia e desalinho
Contradição e beleza
Que em mim se desfolha

Se fosse poeta
Os meus versos
Seriam ritmados
Como o bater do meu coração
Que por ti grita
Gritos surdos
Que devoram a noite
No eco do mundo
És guarida dos meus lábios
Abraços que me aninham
Os meus poros exaltados
Brilhantes e emaranhados
No entrelaçado que sou eu

Em palavras e gestos
Sou eu que te ama eternamente
Que por ti espera e ri
Afaga e acaricia
Completamente louca por ti
Sou eu meu amor
(Cris Anvago)
Amo-te sem explicação
Não existe razão
Para um coração apaixonado
Canto por te amar
Sei que gosto
Do teu terno beijo
Quando me olhas intensamente
Sinto-me nua
E adora que me vistas
Com a ternura e beleza...
Das palavras que são flores
No meu corpo feito jardim
Amo-te porque amo
Por todas as razões que tenho
Para te amar cada vez mais!
(Cris Anvago)
Chegar ao cume da minha alegria
Acariciar o teu corpo
Que me suaviza a alma
Vestida de flores
Trepar na árvore milenária
E gritar no bosque do encantamento
Povoado pelos sonhos
Amo-te!
E ecoa o meu coração
No meio do silêncio...
A noite acordou
Entrelaçada fico nos teus beijos meu amor…
(Cris Anvago)
Descubro nos teus lábios
As palavras que não dizes
No teu corpo revelas
A paixão que por mim sentes
No toque da melodia
Que encanta o teu olhar
Amo-te de madrugada
Vejo em ti o sol raiar
(Cris Anvago)

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

No querer sempre mais
Podemos perder o que pensamos ser “menos”
Mas que para nós é o mais importante
Pequenas coisas que podemos não dar o devido valor
A vida! O amor!
O menos pode ser o mais que não vemos
Corremos no tempo
Desperdiçamos momentos
Quando chegamos ao fim do dia
Vemos
Que nos esquecemos de sorrir
(Cris Anvago)
Bebo dos teus lábios o mistério da paixão…(Cris Anvago)
A palavra pode fazer sonhar
Mas é o toque que faz delirar!
(Cris Anvago)

O SOL E A LUA

Quando o sol nasce
A lua vai-se deitar
Está exausta de tanto brilhar
E pensa o sol que brilha mais
A lua é a companheira
Dos solitários que se perdem na noite
Dos sonhadores
Dos enamorados...
O sol dá-lhes a energia
Perdida ao som da lua
Nas noites de insónias
De solidão
E, para alguns, de infinita paixão
De promessas e beijos loucos
De amor que sabe a pouco…
(Cris Anvago)
A forte ventania pode derrubar-me
Mas tem que ser muito mais forte
Que a minha força de vontade
Em manter-me de pé!
É a suavidade da brisa
Que afaga o meu corpo
Abraça as minhas memórias
Sorri com os meus sonhos
É o odor do teu olhar pela manhã
(Cris Anvago)
Na imensidão da noite escura
Os teus olhos são estrelas que me guiam
(Cris Anvago)
Quem não me conhece por dentro
Não me consegue ver
Muito menos sentir
(Cris Anvago)

CAMINHAMOS SEM VER

Por vezes caminhamos
Sem olhar pela estrada que percorremos
Estamos ausentes
Do mundo
De nós
Não percebemos se é aquele caminho
Sabemos que temos que caminhar
Temos que parar...
Observar
Ver se é mesmo isso que pretendemos
Onde vai dar a longa estrada
Se queremos continuar
Essa insensata caminhada
A resposta sempre está em nós!
(Cris Anvago)

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Na tristeza e na dor sobrevive-se
No amor vive-se!
(Cris Anvago)
Não sou mais que ninguém
Basta-me ser o que conquistei de mim!
(Cris Anvago)
Para mim não existem infinitos
Caminho na direcção que escolho
Sabendo quais são os meus limites
Posso não alcançar as nuvens
Mas as estrelas sim
Posso não ter o oceano
Mas o mar no meu corpo
Seguindo os meus limites
Passo a passo
Posso chegar ao que eu pensava ...
Ser o infinito
Com calma, paciência e luta
(Cris Anvago)
Não te deixes enrolar na onda dos elogios
Pelo teu exagerado ego
Afundas sem dares por isso
E é muito mais difícil voltar á superfície
(Cris Anvago)