domingo, 28 de setembro de 2014

    Não digas
    Que o sol se esconde
    Na retina dos teus olhos
    Quando o meu corpo ferve
    Nas veias do teu corpo...
    Se dizes
    Que sou a paz em ti
    Que a tranquilidade te ilumina
    Serei sol, luz, lamparina
    Só quero que me vejas a sorrir
    No sorriso que te pertence
    Sei que sentes
    Que sou colo e paixão
    Que te amo com intensidade
    Os nossos corpos em comunhão
    Coxas, corpo, agilidade
    Seiva, voz, atracção
    Meiga a voz que te ama
    No coração, na alma que por mim chama
    Amo-te…
    (Cris anvago)