quarta-feira, 24 de setembro de 2014

INSTANTES

    Instantes
    Em que as mãos vagueiam
    Pela pele que se incendeia...
    Olhar que despe o segundo
    Que escorre no relógio sem rumo
    Instantes
    Em que os corações se amam
    Os corpos em desalinho
    Ancas que se erguem
    Loucura
    Breve destino
    Que se escreve
    Em palavras mudas
    Em suspiros soltos
    Ondas que se elevam
    Mares revoltos
    Suspiros que pecam
    Por serem tão nossos
    Instantes coloridos
    Balões que esvoaçam
    Gaivota que grita
    Rasga o céu quando passa
    Instantes
    Que para sempre ficam
    No corpo que se entrelaça
    No afago
    Que o teu coração abraça
    (Cris Anvago)