sábado, 13 de setembro de 2014

MAR QUE TE LIBERTA

Na beleza dos momentos
Que são nossos
O relógio invisível das emoções
Onde os segundos são inconstantes
Dependem das batidas do nosso coração
Nos momentos tão nossos
Cascata de água fresca
Inundam os poros em fogo...
Nua mergulho no teu rio
Inconstante e irrequieto
O teu corpo irrompe no meu mar
Onda que navega e que refresca
Pupilas dilatadas de prazer
Sou fogo e mar
Cascata e floresta
Tudo o que desejas
Grito de paixão que te liberta!
(Cris Anvago)