domingo, 8 de junho de 2014

GOSTO

Gosto que me sintas nas palavras que lês
Que me leias nos silêncios que sentes
Que me abraces no espaço
Gosto do som da tua gargalhada
Dos olhos que brilham apenas por tudo
Detalhes que não são de amor
Por vezes não são nada
Adoro quando te atrapalhas...
No silêncio que não se faz na noite
Todos os barulhos são gritos
Todos os gestos intensos
As palavras têm outro eco
Gosto que me sintas
Que me tenhas a teu lado
Como um livro que gostas de reler
Com as palavras abraço-te
Mas é nos silêncios que te amo!
(Cris Anvago)