domingo, 8 de junho de 2014

TEMPO

Perde-se tempo
Quando nos deixamos dormir na vida
Perdemo-nos nos nossos passos errantes
Navegamos sem rumo
E, o tempo fica tão distante
Cansamo-nos do tempo
Porque não o aproveitamos
Em vez de sorrir choramos...
Penas que o tempo nos quer dar
Arrastamo-nos nas esquinas das horas
Sem aproveitarmos os momentos
A suavidade dos minutos
Corremos com loucura para o infinito
Sem saber como lá chegar
Tempo não é perdido se for preenchido
Com carícias, olhares, malícia
Amor sem tempo
Onde todos os minutos são prazeres
Tempo?
Sempre tenho para amar!
(Cris Anvago)