domingo, 8 de junho de 2014

PENSAMENTOS DERRAMADOS

Canta-me no teu imaginário
Onde as estrelas são cadentes
E os compassos não esperam
Dança-me nos sonhos
Que se derramam no corpo
Salgam e pele
Vibram nos poros selvagens
Gato que se enrosca...
Esconde as garras
Macios os pensamentos
Doces os momentos que se encontram na noite…
(Cris Anvago)