segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Num papel em branco
Escrevi tudo o que sentia
Mas as letras eram invisíveis
Só podia compreendê-las
Sentir...nitidamente e vê-las
Quem as lesse com o coração
Para todos os outros
Apenas um papel em branco...
Cris Anvago