segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Na sintonia descompassada das palavras que não se encontram
Elevo-me para além de mim
Na esperança de me encontrar
Perdida no infinito dos suaves silêncios
Caminho por entre os medos e inseguranças...

Vibro com os sorrisos
Sinto as carícias da brisa que me acompanha
Nas noites que parecem longas
Iguais a tantas horas
Fujo de mim e refugio-me nas estrelas
Porque estão distantes ou porque são belas?
Inatingíveis e brilhantes
Pequenas mas grandiosas
Nas palavras que não se encontram
Os pensamentos deslizam em mim
Como água de fonte cristalina…
Escrevo com o coração que envolve cada sílaba do meu sentir!
(Cris Anvago)