segunda-feira, 2 de novembro de 2015

    Não me perguntes porque sigo por esses caminhos com menos flores e mais espinhos. A firmeza dos meus passos dão-me a segurança que preciso para alcançar os objectivos a que me proponho.
    Não me perguntes porque escolho assim os caminhos se existem atalhos que vão dar ao mesmo lugar.
    Deixa-me escolhe-los, errar e aprender!
    Lutar e vencer!
    Não me perguntes porque luto tanto, porque acredito tanto....
    Não sei viver de outra maneira. Gosto de obstáculos e barreiras para sentir que tenho força e asas, para me sentir uma verdadeira guerreira.
    Gosto de desafios, daqueles em que o sangue pulsa nas veias na incerteza da vitória!
    Gosto de caminhar pelas pedras, escorregar e voltar a levantar-me mais forte e determinada!
    Sei que existem estradas, mas prefiro os caminhos onde cheira a relva acabada de cortar.
    Na minha caminhada existem sempre flores, o que eu preciso sempre é de acreditar em mim!
    (Cris Anvago)