domingo, 28 de julho de 2013

Namoro os teus silêncios como se fossem meus...Beijo os teus gestos que afagam o meu corpo...Faço a melodia para a canção que não escreveste...Namoro-te em todos os momentos...Até naqueles em que estás ausente...Namoro-te...Sempre...(Cris Anvago)

http://voarnapoesia.blogspot.pt/