sexta-feira, 12 de junho de 2015

DIA DA CRIANÇA

    Sou e serei sempre criança, o sorriso, as brincadeiras
    Sou irreverente e gosto da palavra “porquê”
    E como fico confusa quando não me conseguem explicar algo!...
    Desconfio que a pessoa não sabe.
    Gosto de brincar às escondidas
    Escondo-me por detrás das palavras e quando não me encontram
    Gargalhadas soltam-se de mim.
    O que penso de alguém sai, assim, como uma cascata.
    Só percebo que fiz asneira quando vejo a expressão da outra pessoa.
    Pulo, brinco e gosto de balões coloridos que voem até á lua
    Sim! Porque acredito que cheguem lá!
    Oiço uma canção e canto também
    Baralho as palavras, canto como as oiço
    Se não as oiço bem atrapalho-me e invento
    Se alguém dá por isso coloco um sorriso de atrapalhada e tímida, mas não páro
    Assim me desculpo e contínuo, porque quero cantar
    E dançar como sei, basta seguir o ritmo, mas, parece que não é bem assim,
    Até a dança tem regras e nomes
    Mas eu gosto de liberdade e de inventar o meu próprio ritmo
    Gosto de ser criança, de não perceber quando não me interessa
    De pedir o que quero
    De abraçar quem eu quero!
    Não gosto de ser forçada
    Detesto quando me dizem para ser simpática com uma pessoa que não conheço e acho antipática.
    Sou genuína e digo tudo o que penso, dizem-me que não é correto, mas é o que penso!
    Deixem-me ser criança!
    Quando crescer tenho que calar o pensamento e não dizer o que sinto e penso!

    Deixem-me ser criança, brincar e dizer o que penso!
    (Cris Anvago)