segunda-feira, 29 de junho de 2015


    Anda
     Quero-te aqui bem junto de mim
     Onde não existam espaços
     Entre os poros que exalam
     O perfume do amor em loucura


    Anda
     Dança a melodia já antiga
     Onde o amor é uma ilha perdida
     E eu fico em ti

    Anda
     Não repares nas palavras que passam
     Nos minutos que trespassam o dia

    Vem
     Ser a minha alegria
     Os lábios em sinfonia num beijo que aquece
     O corpo que energicamente te ama
     Acompanha-me com o sentir 
     De que deseja e não quer fugir
     Rolam as horas
     Gritam os minutos
     Mas o que importa são os teus silêncios
     Os gestos os músculos que se contraem
     No teu corpo o meu sabor baila
     Na melodia que nos embala

    Vem
     Acaricia a nuvem que passa
     A rosa sem espinhos que te abraça
     Vermelha como fogo
     Acende o teu corpo

    Vem
     Nunca te arrependes
     Quando a minha língua a tua prende
     Num intenso beijo que sufoca
     O grito na garganta que te faz feliz!
     (Cris Anvago)