sexta-feira, 12 de junho de 2015

    Nos teus olhos a lua dança
    No imaginário do meu corpo
    O sol inunda a pele
    Transpira o desejo
    Na paixão nua...
    Na solidão da palavra
    Suave é a brisa que te afaga
    Nos teus olhos um rio que corre
    As rosas perfumam os pensamentos
    As palavras brotam em gestos de ternura
    Despida a lua de silêncios
    Calada na voz que entontece as estrelas
    Os seus mistérios
    Só eu consigo vê-los
    Sinto o sol no sorriso do olhar!
    (Cris Anvago)