quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Mesmo ausente...
Sinto-te no silêncio da noite
Nas palavras que não dizes
Nas expressões que não vejo
Telepatia de sentir intenso
Este...de te sentir sem te ver...
Mesmo ausente...Estás!
Imaginação que rodopia
No teu corpo
Na minha mão vazia...

Mas tão cheia de ti
Sinto-te e beijo-te
No beijo que é harmonia
Entre o ver e o sentir
Entre o querer e desejar
O estar e não estar
Indiferente para mim
Simplesmente porque sempre estás
Sempre és!
Ausente e sempre presente
O teu cheiro
O teu calor
O teu olhar de Amor...
(Cris Anvago)