terça-feira, 27 de agosto de 2013

Vulcão no ventre
Desejo que queima por dentro
Lava que se espalha
Na pele suada
Coxas que dançam
No corpo que não descansa
Gemidos
Gritos
Tabus banidos
No espaço preenchido...

De palavras que queimam
De intensos aromas
Escorrem os sentimentos
Voam
Libertas as mentes
Sorriso que se esbanja
Nos lábios que brilham
Beijos que se espalham
Em melodia que arrepia
Vulcão no corpo
Chama Vermelha nas veias
Amor que Canta
(Cris Anvago)