segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Cantei
E dizem que encantei
Sorri
E por dentro chorei
Alegria e orgulho
Das palavras que entoei
Na sala silenciosa
A minha voz foi poema
Que não rimou
O coração foi maior
A emoção aflorou
No poema que sentiram
Todo o meu sangue eclodiu
Numa explosão de sentir imenso
Sentiram o que senti
Aplaudiram o que não rimou
Mas floresceu na palavra simples
O meu Eu sensível e forte
Amor e luta o meu mote
Cantei e continuo a cantar
Flores silvestres, lua e mar
Sedução, tremor e canção
Dança que balança no corpo ávido de tocar
Senti
Sentiram
O amor na vida!

Cris Anvago