segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Dentro do universo de sensações
Razões não existem
Persistem os toques sem questões
Rodam as ancas que enlouquecem
Nos silêncios que se alegram
Cantam os olhares e abraçam-se gemidos
Novas sensações nas mesmas mãos
Nos mesmos braços unidos
Que se tocam e inventam
Canções novas
Letras que esvoaçam.
Dentro do universo
Das sensações
Paixões
Que exaltam os vulcões em noites que antes eram calmas…

(Cris Anvago)