sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

IMPORTANTE O VAZIO

Importante
A magia da lua
O sorriso do sol
O odor da relva acabada de cortar
A saúde
A força para ajudar
O infinito
Misterioso, imaginário
Que nós queremos acreditar
O abraço
Aquele que aperta o coração
A emoção num sorriso por despir
Despir o sentir!
Viver o sonho
Sonhar de olhar lacrimejante
De alegria e calor humano
Gritar o gesto no emudecer da palavra
Palavra que abraça o coração do outro
O outro que é mais importante para nós
Nós que precisamos seguir o nosso caminho
Não sós!
Acompanhados pelos amigos
Abraçados no amor
Amor que se revela em pequenos gestos
Amizade que é mais que tudo
Que não são restos de nada
Que é sol que ilumina
Caminhada
Sorriso
Alegria
E somos tudo!
E nada somos
Heróis
Vagabundos
Peregrinos
Caímos e levantamo-nos
Choramos e sorrimos
Lembranças boas
Calmas palavras serenas lembranças
Desejos alcançados
Sonhos de criança!
E somos um todo
E somos o muito
Somos o enaltecer da palavra
O gesto e o sorriso
Com hipocrisia não somos nada!
Somos vagabundos no tempo
Sem sonhos nem morada
Amarguradas almas que se desvanecem
Numa qualquer perdida estrada…
Mas somos mais!
Somos tudo!
Se pensarmos nos outros
Se pensamos que podemos mudar o mundo
O mundo é a estrada que escolhemos
As experiências são as que vivemos
E somos altos
E somos tudo!
Desistir dos sonhos
É ficar mudo!
E eu tenho voz!
Nem a montanha me cansa
Escalada em tempestades e bonanças
De gatas, em pé ou a rebolar pela montanha
Eu quero tudo!
Não tenho a verdade absoluta
Mas a vaidade dos outros não me convence
As frustrações e desilusões
Pertencem aos outros que as querem como suas
E, se não se calam perante a realidade
Outra voz se instala
A voz da verdade!
Sou calada e atenta
Observadora e inquieta
Pensadora e não sou poeta
Porque não me elevo tão alto
Tenho limites no ilimitado sonho que me move
Sou eu!
Pequena mas forte!
Amiga com sentimentos nobres!
Pobres de espírito aqueles que não se levantam
Que não socorrem quem precisa
Todos nós precisamos
Somos únicos mas amamos
No mar, no tempo, na palavra
Somos o cais onde partem as naves para as descobertas
Mas o mundo que precisamos descobrir é o nosso!
 O interior! Aquele que tem valor
Palavras, gestos, tempo, terra rio e mar
Somos a incógnita de um segundo
Um gesto que nos pode alcançar!
Somos fortes, meigos profundos
Sabemos pensar, acreditar e sonhar
Somos felizes, infelizes tudo faz parte de nós
Somos quadro inacabado
Pintura esborratada
Silêncio e voz!
Somos únicos
Na essência com que nos moldamos
Somos barro cru
Antes de sermos escultura
Somos tudo o queremos ser
No acreditar, no amar e no viver!

(Cris Anvago)