segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Deixa-me escrever um poema no teu corpo...
com a minha lingua...
e os meus dedos esguios..
deixa-me percorrer-te com palavras de amor e desejo...
arrepiar a tua pele com as minhas exclamações de prazer...
deixa-me percorrer todos os teus recantos..
e encantos escondidos...
escrever em ti palavras de apaixonadas...
deixa-me murmurar poemas de amor junto ao teu ouvido..
enquanto navego em ti...
o teu corpo ondulante no meu..
o meu corpo a ferver no teu...
deixa-me hoje amar-te...
até ficarmos sem forças...
mas com a tranquilidade a invadir-nos...
descansamos..
com um sorriso..
em nós...
 
(Cris Anvago)