quarta-feira, 11 de abril de 2012

Andava distraída..sem rumo...sem pensar...
de repente..estava na tua rua...
olhei para a tua janela...
imaginei-te a dormir...com o teu ar sereno...
e o meu coração disparou...
com passo lento..passei á tua porta...
escrevi num pedaço de papel :
sinto-te em mim amor...
dobrei...coloquei na tua caixa de correio..
e continuei...sem rumo...
...
mas..o frio que sentia..passou...
o sorriso nasceu...
corri..alegre..como uma criança..
e fui para casa..
sonhei contigo..meu amor...
(Cris Anvago)