domingo, 27 de outubro de 2013

As palavras que são atiradas ao vento
Ocas de pensamento
Quando estão soltas
Nada a fazer...
Pode-se refletir depois
Mas as palavras que voaram
Já não as podemos apanhar...
Já foram...Já magoaram...
A cabeça pensa
E antes de chegar ao coração...

Já as palavras saíram
Sem razão...sem sentimento...
O coração detesta a cabeça
Quando as palavras são assim
Atiradas sem sentimento
Sem amor
E voam sem razão...
Uma lágrima rola na face
da pessoa onde a palavra aterrou...
Assim...
levada pelo vento, aterra como granizo...
Magoa...
Quem atingiu...e quem a atirou ao vento...
(Cris Anvago)