quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Na solidão de um quarto de hotel
A minha voz rasga o silêncio da noite
Quarto minguante a lua lá fora
Espaço tão cheio de nada cá dentro
E eu tão só, tão nua de palavras
Impessoal o espaço que me prende
Só e silenciosa, enrolo uma lágrima
Lanço-a pela janela da noite escura
Recordo-te com alegria
Vazio é o espaço da tua presença...

O teu olhar surge
No espelho onde me observo
A minha pele sente falta da tua
Como os meus olhos dos teus
Pego no telefone...
Oiço a tua voz e sorrio
O espaço ficou mais completo
Telefonei amor para te sentir
Tão longe...e tão perto...
A lágrima lançada é agora pássaro de mil cores
Mensageiro da tua voz
Melodia que me vestiu
O teu cheiro...o teu calor...
Já não me sinto tão só
Meu amor!
(Cris Anvago)