quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Chove...
De dentro para fora de mim
Gotas salgadas resvalam na minha pele
Inundam o meu corpo
É Inverno...frio...
Dentro e fora
Não existe sol que me aqueça
Estalactites formam-se na minha pele
Como facas aguçadas
Lábios roxos...neve......

A noite escura tem estrelas de dor
Sem luz...sem vida...
No meu corpo nu
Inerte e prostrado
Apesar de tanta chuva...
É deserto...
Chove de dentro para fora de mim...
Sou deserto...
(Cris Anvago)