sábado, 28 de maio de 2016

Não deverão existir dias sombrios
Melancolias e tristezas
Se a vida é feita de momentos
Onde os gestos num ápice desaparecem
Que os corpos não se ausentem
Que as mãos se escondam
Nos poros emergem energias.
Irrompem palavras errantes
Nos lábios inconstantes
Entre o beijo e o silêncio
Nómadas os desejos
Ambulantes os beijos
Transformados em gemidos profundos, densos
Num céu repleto de estrelas
Luminosidade extrema
Na complexidade das emoções
Se a vida é feita de momentos
Os segundos são cruciais
É urgente vivê-los!

Cris Anvago