sábado, 28 de fevereiro de 2015

Na imensidão da praia
O meu pensamento flui
Como as gotas que se soltam
Da onda gigante que adormece na areia
Espalho o meu sentir pelo teu corpo
Navego no sal dos teus poros
Sou a sereia que canta e encanta o teu sonho
Na imensidão de mim
Sou tudo o que quiseres
Se desejares serei a ilha deserta
Onde o mar rodeia o teu prazer
O navio que se perde na tempestade
E se encontra na calmaria da praia
Por ti serei gaivota que grita
No céu que se agita e muda de cor
Que acolhe o sol
As nuvens, as estrelas e a lua
Serei sempre eu, tão nua
Na imensidão do teu querer
Se quiseres estarei em ti
Nos segundos que ultrapassam o sorriso
Como a luz serei mais veloz que o som
Com a minha voz acaricio o teu íntimo
Sou fado, samba, canção
Serei o que quiseres dentro de ti
Dança suave ou louca agitação
Sou tudo no amor que me invade
Nesse amor que em nós arde
Na imensidão sou pequena
Mas enorme na paixão por ti!

(Cris Anvago)