domingo, 8 de fevereiro de 2015

    Nas veias corre-me a vida
    Melodiosa e colorida
    Quando o meu corpo
    No teu se embriaga
    Sei que não estou só...
    Nesta infinita estrada
    Corre o teu sangue no meu
    Arrepia o desejo
    No beijo que não se fez esquecido
    Corpo que deambula perdido
    No teu corpo tentação
    Corre a paixão desmedida
    A noite que foi intensamente vivida
    Seios abraçados nas tuas mãos
    Pecado que não existe
    Neste amor que persiste
    Nos teus olhos a eterna imensidão
    (Cris Anvago)