segunda-feira, 19 de março de 2012

Abri uma romã...
saboreei cada polpa..,
vermelha...bela...
a sua tonalidade fascinou-me...
o seu sabor penetrou em mim...
paixão...que me alimenta...
e me cura...
dos males da terra..
que me eleva,,,
...
além de mim..
tu..
és..
a minha romã..
(Cris Anvago)