domingo, 19 de janeiro de 2014

Desmaio no sonho que me dói
Do sentir que desaparece
E na noite escura
O teu corpo enlouquece
Dedos que te procuram
Desmaio em mim
Cansaço da procura
Silêncio que adormece
O corpo dormente e inerte
Na cama esquecido...

Estendido, cansado frio
Chora na pele que ferve
De paixão, de realidade
Grito pelo teu coração
Acordo em sobressalto
Renasço em ti...
Sou luz!
Numa louca alucinação
Amo-te sem tempo...
Como se o mundo fosse acabar...
(Cris Anvago)