domingo, 19 de janeiro de 2014

Escrevo os meus silêncios
Que gritam sentimentos...
Escrevo páginas errantes
Caos numéricos
Palavras que esvoaçam
Nas páginas em branco
Entre sonhos e realidades
As palavras ficam vivas
Mexem, tremem, choram e riem
Os sentimentos...

Abraçam-se, revelam-se, sonham
Vivem e são reais
No livro imaginário da vida!
(Cris Anvago)