domingo, 19 de janeiro de 2014

Na serenidade do meu toque
Corpo sol que queima
Nas veias um mar revolto de emoções
Nos olhos o brilho das estrelas
Afago o fundo do mar
Mergulho e perco-me
Respiração que acelera
O jardim tem rosas belas
E as pétalas suaves
Pura seda no meu corpo...

Orquideas nos teus lábios
Sabes a amoras silvestres
Aquele aroma que me embriaga
Sabor doce com que me vestes
És sol e mar
Aqueces e revoltas
O desejo mais íntimo
Mais profundo que existe de mim
Quero-te com loucura
Amo-te com ternura
(Cris Anvago)