segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Não me conheço na noite escura e fria
Só me revejo no dia de sol ardente
Sou assim, feita de sentimento
Onde lágrimas bailam na loucura do querer
Quero lembrar-me de mim
Mas com tantos Invernos e tanta chuva
Acho que me esqueci, dos dias quentes
Da brancura das nuvens
Do calor de um sol ardente
Mas dos teus lábios não me esqueço amor...

Da tua língua que brinca e dança
No meu corpo quente que balança
Entre as tuas coxas quentes de Verão
És melodia que me faz dançar
Sou música que entra na tua pele
Que respira paixão e te faz suspirar
Escorre na tua pele o doce amargo do desejo
A pele grita e eu não vejo
As tuas pupilas dilatadas de prazer
Está escuro amor
Mas com as minhas mãos vou descobrindo
Brincando...com o teu prazer
Quero o teu corpo vivo no meu
Verão onde o calor é emoção
Amo-te e gemes
Estou em ti e tremes
Orgasmo que renasce e explode
Num corpo arqueado e moldado pelas minhas mãos
Vem, aquece-me, molha.me, sê onda...nesta noite de Verão
(Cris Anvago)