sábado, 1 de março de 2014

Pouco é o tempo
Para navegar no teu corpo
Vestido com o meu
Sem pudor
Com loucura
Vibrar...cantar e dançar...
Nas línguas que são peixes que navegam
nas ondas selvagens do desejo
Febre que invade as veias
Fervem os beijos...
Pouco é o tempo
Para tanto amor
Que navega nos segundos sileciosos
do relógio que teima em correr...
(Cris Anvago)