quarta-feira, 23 de julho de 2014

ENTARDECER EM MIM

Quando tardavas
Nas noites que se faziam frias
No meu peito uma agonia
De quem padecia de algo não concreto
O meu coração desperto pelo amor
As minhas mãos ansiavam pelo teu calor
Quando tardavas
E as horas se atrasavam...
No relógio já cansado de esperar
Eu esperava na loucura dos minutos
Nos segundos que me pareciam absurdos
Na loucura que me enfeitiçava
Fada, louca, inquieta
Impaciente nos labirintos da minha pele
Tardavam os teus dedos
E os teus lábios com sabor a mel
Quando tardavas
Eu desesperava amor…
(Cris Anvago)