terça-feira, 28 de outubro de 2014

    Tudo vai para além de mim
    Para além do que não se vê
    Numa outra dimensão
    Onde desconheço o tempo
    O espaço e a forma das incertezas...
    No além em que sempre estou
    Encontro-me no que penso e sou!
    Esvazio o infinito e toco no céu
    Que está perto
    Não é assim tão incerto como se pensa
    Fico a acariciar as estrelas
    Falo e sinto o brilho
    Que se expande no finito do meu ser
    Não existe vazio
    O eco dos passos é o grito da sofreguidão
    Do querer viver na intensidade do presente
    Tudo vai para além de mim
    O que transborda em mim
    (Cris Anvago)