segunda-feira, 14 de março de 2016

Tardes sem fim
Sem ti
Olho o sol que desaparece
Nasce a lua
O desejo de mais uma vez ser tua
És a magia
Na noite que adormece lá fora
No meu corpo desperta o fogo
Que acende todas as noites
Numa madrugada sem hora
Nos meus braços
Enlaço o teu corpo
Guardo-te no desejo
De te ter em mim
Até de manhã…
Em todas as manhãs
Sem fim…

(Cris Anvago)