segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Na pele arrepiada
O sopro de um beijo
Um fio de mar
que resvala e contorna
As curvas do teu corpo
Que dança e balança
ao som de um gemido quente
Que se desprende suavemente
Da garganta que sufoca de desejo
Na pele arrepiada...

Os meus dedos passeiam
Gritam que te amam
Na tua pele já molhada
De prazer...
(Cris Anvago)