sábado, 1 de fevereiro de 2014

Quero sentir o teu corpo vivo
como nos dias de tempestade
Quero acarinhar-te serenamente
como uma noite calma e estrelada...
(Cris Anvago)