domingo, 31 de agosto de 2014

Vejo o que quero ver
Acredito no que quero acreditar
Mas no fundo não vejo nem acredito
Não vejo porque não quero
Não acredito porque sei que não é verdade
Mesmo que a palavra me abrace
É frouxa, não é segura
Não segura o meu sentimento
Porque é uma palavra sem sentido
Sem razão...
Palavras ocas de sentimentos
Não me fascinam…
São os picos da rosa
Sem a rosa, sem o seu odor e encanto…
(Cris Anvago)