segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Deixa que o meu corpo afague o teu
As minhas mãos são brisa
Que passa suave nas tuas costas
Beijo-te os sonhos
E faço parte deles
Sou a realidade que sentes
Sou a tempestade
Que estremece o teu corpo
Sou as tuas asas
Sou o que quiseres que eu seja
(Cris Anvago)