segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Os meus olhos brilham
Quando te imaginam
São duas estrelas quando te vêem
As minhas mãos estão cheias de saudade
Quando não acariciam o teu corpo
Os meus dedos deixam de ser pincel
Quando não te toco
Em pinceladas suaves e intensas
Quando o teu corpo está distante
E não é a minha tela real
Onde com desejo pinto
Os meus teus e os meus desejos...
(Cris Anvago)