sexta-feira, 25 de abril de 2014

É tempo de paixão
De rasgar as roupas
Rolar, dançar, sentir-te
O mar inunda os corpos
Que se afogam no delírio dos gemidos
Na pureza das sensações
Sou o teu corpo
Os teus dedos que cantam
Seduzem-te
Percorrem-te...
No calor do beijo
Línguas dançam
Corpos balançam
E o orgasmo vai para além de desejo
É vulcão que inunda o mundo
sempre misterioso do teu pensamento
Que salta, voa…
Num infernal momento
Onde existe fogo, mar e céu
Em que a pele transborda
Bebo de ti…o sal da paixão…
(Cris Anvago)