sexta-feira, 18 de abril de 2014

TEMPO MEU

Gosto de me ausentar do tempo
De ignorar o relógio
Que teima em rodar em torno de si
Compassado e sem vontade própria
Gosto de transpor barreiras
Arranhar mentalidades retrógradas
Desafiar a minha imaginação
Na vida e no amor...
De caminhar sobre as ondas
E mergulhar nas nuvens
Ver o mundo ao contrário
O mundo à minha maneira
Sem tabus
Repleto de arte natural e sons perfeitos
Na minha imperfeição
Gosto da beleza dos outros
A que não se vê mas que eu sinto
Gosto de me ausentar do tempo
Para ficar com todo o tempo do mundo
Para Amar…
(Cris Anvago)