sexta-feira, 18 de abril de 2014

NOITE...DIA...

Caminhar pela noite
Pés descalços
Corpo vestido de chuva
Miudinha e fresca
Os pensamentos voam
No infinito da noite
Que se desnuda num sopro
De vento que me desnuda...
Fico nua na noite
Que de repente se ilumina
No meu olhar o teu
A minha mão na tua
Já é dia
Na noite solitária e sombria
(Cris Anvago)